MUSEU BOULIEU 2014 comente aqui

No dia 18 de dezembro, o nosso companheiro honorário Jacques Boulieu e esposa presidiram a cerimônia de assinatura do protocolo de doação de sua riquíssima coleção de antiguidades sacras para a Arquidiocese de Mariana. Trata-se da criação do Museu Boulieu – Caminhos da Fé, que contém um importante acervo obtido durante décadas em suas peregrinações pelo mundo. A cerimônia ocorreu na Basílica de Nossa Senhora do Pilar, Ouro Preto, e contou com a representação do RCOP por intermédio da companheira Margareth Monteiro. Nossa cidade ganha assim mais um espaço cultural, que vai funcionar no antigo prédio da Santa Casa de Misericórdia. Em dezembro de 2012 o nosso site já havia feito menção a este museu, por ocasião de exposição no Espaço FIEMG.

Museu Boulieu 2014

Segue abaixo uma nota publicada por Roque Camêllo no Jornal O TEMPO de 17/01/2015, a respeito deste acontecimento.

O casal franco-brasileiro, Jacques Boulieu e Maria Helena, assinou com Dom Geraldo Lyrio, o protocolo de doação de seu acervo de arte sacra à Arquidiocese de Mariana. São 1.200 peças brasileiras e de outros países.  O conjunto é fruto de 50 anos de suas viagens pelo mundo. Os Boulieu decidiram pela doação para que os brasileiros conheçam, pela arte, os “Caminhos da Fé”. O território arquidiocesano de Mariana (79 municípios) detém mais da metade do patrimônio barroco e rococó do Brasil. O novo acervo integrará o sistema arquidiocesano de Museus sob a diretriz da Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese (FUNDARQ) e contará com a responsabilidade técnica e museológica do Instituto Cultural Brasileiro do Divino Espírito Santo. Participa do projeto a Prefeitura de Ouro Preto que se comprometeu a ceder espaço para sua implantação.  Os Boulieu começaram esta história de amor às artes no início de 1960, visitando China, Índia, Indonésia, Filipinas, Peru, Bolívia, México, Itália, França, Espanha e América Central. O acervo retrata a expansão da fé cristã. Diferencia-se dos Museus de Arte Sacra de Mariana e do Aleijadinho cujo foco principal é a arte sacra brasileira com proeminência de obras de Athayde, Aleijadinho, Vieira Servas e outros dos séculos 18 e 19. O “Museu Boulieu-Caminhos da Fé” reunirá arte colonial, escultura, pintura e prataria provenientes daqueles diferentes países. Em sua sensibilidade, Maria Helena Boulieu nos deixa sua visão: “Cada peça traz a sua história, fazendo-nos viver aventuras pitorescas e espirituais e conhecer pessoas de grande riqueza humana”. A generosidade do casal, dispondo de um patrimônio de valor incalculável, revela seu alto grau de desprendimento e enlevo espiritual e seu compromisso de tornar patente e perene a História da Igreja na missão de evangelizar os povos. Disse o Secretário Ângelo Oswaldo: “O esplêndido conjunto caracteriza as irradiações no barroco do mundo, enfatizando o primado da visualidade nas expressões do estilo e a sua dimensão religiosa, voltada, por inteiro para a exaltação da fé católica”.  Dom Geraldo afirmou: “A Arquidiocese será eternamente grata aos Boulieu pela doação. Essa gratidão haverá de se expressar sobretudo no desvelo como fiel guardiã e zeladora juntamente com o Instituto Cultural Divino Espírito Santo, desse tesouro, e garantindo o cumprimento da vontade de seus doadores”. Algo tão valioso e de complexas características contou com a boa vontade de pessoas muitas entre as quais o prof. José Anchieta da Silva que elaborou todos os documentos indispensáveis à transação, praticando com esmero a advocacia “pro bono”. Assim se deve construir o mundo com generosidade e amor, superando o egoísmo e incompreensões. Todos os envolvidos no projeto “Caminhos da Fé”, a começar pelos Boulieu, principais protagonistas, estão imbuídos deste compromisso para o bem da Humanidade.  São exemplo a ser seguido. O Brasil agradece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *