PAELLA DO LORETO NA CASA DA SÔNIA

De acordo com a Wikipedia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Paella), a paella (em castelhano e catalão) ou paelha (forma aportuguesada) é um prato à base de arroz, típico da gastronomia espanhola e que tem as suas raízes na comunidade de Valência – daí que em Portugal seja comumente conhecido como arroz à valenciana. Surgiu na Espanha, nos séculos XV e XVI, na região de Valência, mais especificamente na região de Albufera, região de grandes arrozais e de grande produção de verduras frescas. Originalmente um prato popular, foi criada pelos camponeses que partiam para o campo com a paellera ou paella, arroz, azeite e sal e agregavam ingredientes da caça, legumes da estação e as sobras que possuíam. O tomate só foi acrescentado posteriormente, trazido da América por Cristóvão Colombo, e o frango, que era muito caro para os padrões da época.

O prato é chamado paella devido à paellera ou paella valenciana, uma espécie de frigideira, de ferro ou aço, onde são preparados vários pratos da culinária valenciana, como o arroz negro e o fideuá. A paella ou paellera, é uma frigideira rasa e grande (diâmetro mínimo de 30 cm), com duas alças. O formato da paella favorece o cozimento do arroz por igual. O nome paella vem do latim “patella“, espécie de bandeja usada na Roma antiga, onde eram colocadas as oferendas aos deuses, em rituais de fecundação da terra.

Há diversas receitas, mas a autêntica paella valenciana é a união de vários alimentos característicos da região: arroz, frango, coelho, pato, garrofó, tabella e ferraura – variedades autóctones de feijão -, tomate, azeite e açafrão (que dá a cor amarela característica do prato). Ocasionalmente pode se adicionar alcachofras e caracois, alguns também adicionam ervilhas. Com a difusão da paella pela costa, foram acrescentados frutos do mar: choco, camarões, lulas, lagostins, amêijoas (vongole), mexilhões, e polvo, tornando-o um prato misto (terra e mar). Em suas diferentes variações, encontram-se ainda as “paellas marineras” (peixe e frutos do mar) e a “paella negra”, com tinta de lula. No Brasil, normalmente é feita com frutos do mar.

Pois bem, o nosso companheiro e exímio cozinheiro José Loreto resolveu criar uma variação deste famoso prato: a Paella Ouropretana. Trata-se de uma saborosa variedade de carnes de boi, frango e porco, bem cozidas na frigideira de ferro, a uma adequada temperatura e tempo, misturadas com legumes (inclusive quiabo e mandioca), arroz e temperos. Para enfeitar o prato e dar um toque regional, torresmos bem sequinhos são colocados na superfície do prato, e fazem o papel dos camarões tradicionais.

A Paella do Loreto foi muito bem degustada neste ultimo domingo na residência da companheira Sônia Farah, por ocasião do Natal da Casa Lar, festa tradicional que o casal Farah oferece para as crianças que participam do projeto de acolhida de órfãos e abandonados. As fotos a seguir ilustram momentos do almoço. Uma boa oportunidade para o companheirismo e, é claro, de saborear uma deliciosa refeição. Parabéns, Loreto e Sônia!

Slide1

Slide2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *