SENADO FEDERAL HOMENAGEIA ROTARY

O Senado Federal realizou sessão especial nesta sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016, para homenagear o Rotary International pelo seu aniversário de 111 anos. A sessão também serviu para marcar o centenário da Fundação Rotária, braço financeiro da instituição, que será comemorado em 2017.

O autor do requerimento solicitando a sessão especial foi o senador José Serra (PSDB-SP). Ele explicou que o Rotary busca estimular líderes comunitários, homens de negócios e profissionais a ele filiados a empreender serviços à sociedade, além de incentivar o comportamento ético entre seus associados e nas suas relações profissionais e de negócios.

IMG_8785

O diretor do Rotary International no Brasil, José Ubiracy Silva, discursou na sessão. Ele afirmou que os associados do Rotary trabalham com disposição dos projetos organizados pela instituição porque “servir a humanidade é a melhor obra de uma vida”.

Trabalhamos com o propósito de melhorar a condição de vida da população que nos cerca. A paz somente será possível quando as pessoas estiverem educadas, saudáveis e bem alimentadas. Sabemos a dimensão da mudança a que nos propomos e somos todos voluntários. Queremos ser úteis – disse.

Silva aludiu ao principal projeto conduzido pelo Rotary, o PolioPlus, esforço pela erradicação da poliomielite (paralisia infantil), que existe há 31 anos e contribuiu para extinguir a forma endêmica da doença em praticamente todo o mundo. Segundo o diretor, o Rotary brasileiro está disposto a colaborar de forma semelhante com as autoridades brasileiras para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da zika e da chicungunha.

Vera Lúcia Camilo Ribeiro, governadora do distrito que abrange Distrito Federal, Goiás e Tocantins, também falou na sessão. Ela lembrou que a instituição é a única organização não-governamental (ONG) do mundo com cadeira na ONU, onde atua como observadora.

Não é à toa que estamos fazendo 111 anos. É porque temos grandes trabalhos prestados, planejamento, seriedade. Trabalhamos para o bem da comunidade e do mundo e fazemos uma grande diferença.

Mário César Martins de Camargo, representante brasileiro na curadoria da Fundação Rotária, falou sobre o trabalho desse ramo da instituição. Ele explicou que a fundação recebe doações de associados de todo o mundo e investimentos atraídos pelo Rotary, e usa esse dinheiro para financiar projetos e campanhas de erradicação de doenças, treinamento de professores, fomento ao empreendedorismo, ajuda humanitária e outros.

Não medimos esforços. Tiramos do nosso próprio bolso e conseguimos convencer governos e fundações particulares a decuplicar o que nós investimos ao longo de nossa trajetória. Não conhecemos fronteiras. Nosso campo de trabalho é o mundo inteiro.

Apesar de a Fundação Rotária não estar entre as maiores do mundo em termos de quantidade de capital, Camargo garantiu que a instituição possui um ativo “que ninguém mais tem”, que é a rede global de 1,2 milhão de associados, “combatentes que conhecem as suas comunidades”.

Parte do discurso do curador foi dirigido aos associados brasileiros. Ele relatou que a fundação não recebe muitos projetos oriundos do Brasil em busca de financiamento, e alertou que isso faz com que o dinheiro arrecadado aqui acabe revertido em benefício de outros países. Camargo pediu aos diretores e presidentes regionais dos clubes Rotary que trabalhem para multiplicar as iniciativas brasileiras.

Outro curador da Fundação Rotária, o americano Michael McGovern, também discursou. Ele ressaltou que as conquistas do Rotary são resultado principalmente da disposição dos associados e agradeceu o reconhecimento prestado pelo Senado.

imagem_materia

O senador José Serra, idealizador da sessão especial, prestou homenagem aos rotarianos presentes e destacou o fato de que o Rotary é “campeão mundial” de investimento em capital social e em número de voluntários. Ele afirmou que, quando foi ministro da Saúde (1998-2002), o Rotary foi um dos maiores parceiros em ações conjuntas.

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) disse que o Rotary promove uma “globalização do bem”, que é inclusive anterior ao fenômeno da globalização econômica. Ele pediu auxílio da instituição no combate ao analfabetismo e elogiou a disposição dos associados em todos os projetos com que se envolvem.

Nos dá orgulho saber que pessoas que não são políticas, não são de governos, que apenas são parte da humanidade, lutam para erradicar o sofrimento – elogiou.

O senador Hélio José (PMB-DF) salientou que o modelo rotariano de governança e de captação de recursos é “reconhecido mundialmente”, e se disse emocionado pelo fato de que os associados realizam todos os seus projetos sem nunca perderem o espírito de amizade entre si.

A história da organização é inspiradora aos brasileiros nestes tempos de crise, porque ilustra a força das pessoas quando se unem por uma boa causa. O Rotary tem um legado moral muito importante, movido pela força da solidariedade e pela fé no progresso humano – observou.

A solenidade ocorrida em Brasília teve a participaçãoo de uma comitiva de Mariana, liderada pelo nosso futuro Governador do Distrito 4580, André Cota.

Fonte: Agência Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *