DIA DO ESPORTISTA

No dia 16 de fevereiro, o RCOP prestou homenagem ao Dia do Esportista. Para tal, foi convidado o prof. Estácio Fonseca da Costa, responsável por turmas de ginástica olímpica da Fundação Aleijadinho, e dois ginastas premiados a nível internacional. A companheira Efigênia da Glória Chaves conduziu os homenageados à tribuna, e aproveitou para passar um video sobre as atividades esportivas da referida Fundação.

O Dia do Esportista é comemorado anualmente em 19 de fevereiro. A data tem o objetivo de incentivar, conscientizar e homenagear a pratica do esporte, como meio para o desenvolvimento de uma vida muito mais saudável. O exercício físico atrelado com uma dieta saudável é recomendado por todos os especialistas em saúde para manter uma boa qualidade de vida. Aprender a trabalhar em equipe, concentração, paciência, cooperativismo e fortalecimento muscular são algumas das várias vantagens que a pratica do esporte garante para o ser humano, seja fisicamente ou mentalmente.

O Dia do Esportista, originalmente, foi criado a partir da Lei nº 8.672, de 6 de Julho de 1993, conhecida como “Lei Zico”. No artigo 54 constava que o dia 19 de fevereiro seria destinado como Dia do Esportista. A Lei nº 9.615, de 24 de março de 1998, conhecida popularmente por “Lei Pelé” ou “Lei do passe livre”, revogou a Lei Zico, estabelecendo o dia 23 de junho como o Dia do Desporto, mesma data do Dia Mundial do Desporto Olímpico. No entanto, a população mantém a antiga data ainda hoje como o dia para comemorar a pratica do esportismo no Brasil. 

Aproveitando a proximidade do Carnaval, o RCOP prestou uma homenagem ao “Zé Pereira dos Lacaios”, tradicional bloco carnavalesco de Ouro Preto, que comemora neste ano 150 anos de existência. Nosso Club foi visitado pela diretoria atual do Zé Pereira, trazida à tribuna pelo casal Leca / Luiz Antônio, que há mais de 40 anos desfilam no bloco. O texto a seguir, escrito por Ângelo Oswaldo de Araújo Santos,  sócio honorário do RCOP, explica a importância desta homenagem.

“Faz exatamente 150 anos, Ouro Preto deixou-se contagiar pelo ritmo de bateria que se tornou um de seus mais expressivos símbolos sonoros. Os funcionários do Palácio dos Governadores da Província de Minas Gerais resolveram formar uma agremiação para as festas do carnaval com a novidade que vinha do entrudo na corte do Rio de Janeiro. Foi assim que nasceu o Clube dos Lacaios, com o seu tradicional toque do Zé Pereira. Três décadas mais tarde, a capital mudou-se para Belo Horizonte, e os servidores da Escola de Minas, instalada no velho Palácio, garantiram a continuidade dos Lacaios, ao arrastarem o povo pela rua São José, palco dos festejos carnavalescos, pulando e cantando zé pereira, bum, bum, bum, zé pereira!

Lembra-se o cortejo. Cavaleiros abre-alas vêm à frente do bloco, tocando clarins. Depois do porta-estandarte, crianças e jovens trajando fantasia de diabo são os Cariás, da palavra grega cariátide. Riscam o calçamento com suas lanças para tirar faíscas das pedras. Lampadários de velas acesas aparecem ao lado. Os catitões são os grandes bonecos que se seguem no desfile, tendo à frente o Zé Pereira, português bigodudo envergando uma cartola, e a bela baiana por ele cobiçada. Aí surge a bateria, da qual por muitos anos fez parte o médico e prefeito Alberto Caram. Zé pereira, bum, bum, bum, zé pereira!!!  

A cadência do Zé Pereira tem origem em Portugal, e um grupo da cidade de Amarante já visitou Ouro Preto para homenagear os Lacaios. Feitas as contas, não há grêmio carnavalesco mais antigo em atividade no Brasil. Daí a importância do clube sesquicentenário, que representa mais uma fantástica dimensão da diversidade cultural do patrimônio ouro-pretano.” 

Nosso Club foi visitado novamente pelas Senhoras da Casa da Amizade, que vão realizar uma festa pré-carnavalesca no dia 18 de fevereiro, e convidam a todos para o companheirismo. O Club também foi visitado pelo eng. Claudinei Roberto Guimarães, natural de Ouro Preto, formado pela Escola de Minas e funcionário da SAMARCO. O companheiro Pedro Soriano de Carvalho (próximo Presidente do RCOP) aproveitou para fazer um relato sobre o Seminário de Treinamento, ocorrido recentemente em Viçosa. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *