LANÇAMENTO LIVRO GLAURA comente aqui

Em concorrida reunião organizada pelo Museu da Inconfidência no distrito de Glaura, ocorreu neste sábado, 02/04/2011, o lançamento do livro “Glaura – Chá com Causos“.

Trata-se de um projeto executado pela equipe pedagógica do Museu da Inconfidência, através de entrevistas com moradores de Glaura, com o propósito de aproximar a instituição do contexto sócio-cultural dos distritos de Ouro Preto, difundindo e valorizando, de forma lúdica, os conceitos de patrimônio, museu, história, memória, identidade, alteridade e cidadania, como algo dinâmico e de suma importância não apenas para a população local, mas para a preservação da própria cultura brasileira.

Os trabalhos foram desenvolvidos no sentido de valorizar assuntos que todos conhecemos e se constituem patrimônio inestimável para cada um de nós: culinária, festas populares, lendas, artesanatos, “causos”, medicina popular e crenças.

Este evento foi organizado pela companheira do RCOP Margareth Monteiro, pesquisadora do Museu da Inconfidência, e contou com a presença dos companheiros Paulo Monte Alto e Leonardo/Vera Godefroid. Estiveram presentes o diretor do Museu da Inconfidência, Rui Mourão, o criador do Projeto Sorria e benfeitor de Glaura, Aluisio Drummond, e o Prefeito e Vice-Prefeito de Ouro Preto.

A seguir, fotos do evento e um panorama do distrito de Glaura. Clique nas fotos, para ampliação.

 

Cartaz de divulgação do evento

 

As pesquisadoras do Museu da Inconfidência

 

Margareth Monteiro e Rui Mourão

 

 

 

 

 

Igreja de Santo Antônio

 

Polo Cultural de Glaura

 

 

 

 

PALESTRA FREDERICO SOBREIRA comente aqui

No dia 31 de março o RCOP teve o prazer de receber a visita de Frederico Garcia Sobreira, professor associado do Departamento de Engenharia Ambiental da Escola de Minas da UFOP. A motivação pelo convite se relaciona com a tragédia que se abateu recentemente sobre cidades serranas do Rio de Janeiro e o sul de Minas Gerais, em decorrência das fortes chuvas de início de ano, e a especialidade do professor.

O prof. Sobreira possui graduação em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1983), mestrado em Geologia de Engenharia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989) e doutorado em Geologia Econômica e Ambiental pela Universidade de Lisboa, Portugal (1996). Tem experiência nas áreas de Geociências e Geotecnia, com ênfase em Geologia de Engenharia e Geologia Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: geologia urbana, risco geológico, geologia ambiental, cartografia geotécnica e ordenamento territorial.

A palestra proferida teve como título: Chuvas e Risco Geológico em Ouro Preto. Inicialmente, foram abordados conceitos relacionados com movimentos de terra causados pelas chuvas, de uma maneira geral. Diversos exemplos de acidentes foram apresentados, assim como técnicas usuais de previsão de catástrofes. O ponto principal da palestra foi uma reflexão sobre a situação de Ouro Preto. Com índices pluviométricos médios bem superiores aos locais onde ocorreram acidentes no início deste ano em nosso país, Ouro Preto pode, a qualquer momento, sofrer uma tragédia semelhante ou até pior, principalmente em regiões onde antigamente se procedeu à mineração do ouro, incluindo os bairros de Santa Cruz e Padre Faria. Diversas propostas para se evitar danos futuros foram apresentadas pelo prof. Sobreira, baseadas em pesquisas que ele vem desenvolvendo em nossa região há vários anos.

A seguir, algumas fotos ilustrativas do evento.  

 

Palestrante Frederico Sobreira e esposa
Título da palestra
Prof. Sobreira mostra antigas regiões de mineração de ouro em Ouro Preto
Conclusões da palestra
 
 

 

 

Silvério Marotta, presidente em exercício
 

Novo uniforme do RCOP
 
Presença jovem do Rotaract

 

ANIVERSÁRIO ALVARO comente aqui

Na última quarta-feira, 30/03/2011, membros do RCOP se reuniram para mais uma demonstração de companheirismo. Na ocasião, comemorou-se o aniversário do companheiro Alvaro Guarda, competente tesoureiro de nosso clube. A reunião ocorreu de forma alegre e descontraída, mantendo-se elevado o espírito rotariano. Grande oportunidade para confraternização entre os membros do Rotary e amigos do casal Alvaro/Vera.

Alvaro possui graduação em Tecnologia em Processamento de Dados pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1984), mestrado em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1990) e doutorado em Sistemas de Informação pelo INPG – Institut National Polytechnique de Grenoble, França (1998). Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Sistemas de Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: inteligência artificial, aprendizado de máquina, visão computacional, sistemas especialistas e algoritmos genéticos. Possui experiência profissional no desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação como programador e analista de sistemas para a área financeira. Atualmente é professor do Departamento de Computação / ICEB / UFOP, e diretor da Diretoria de Orçamento e Finanças da UFOP.

Vida longa e próspera ao nosso tesoureiro! Seguem fotos que marcam o evento.

 

Alvaro reunido com a esposa Vera e o filho Angelo, no momento de soprar as velas (quantas???…)

 

Notáveis Presidentes do RCOP

 

Prendadas Senhoras da Casa da Amizade

 

 

 

 

 

HOMENAGEM CLÉIA BARBOSA comente aqui

“O Rotary não é feito somente de boas ações; boas ações são apenas expressões de algo mais profundo. Por trás das boas ações de Rotary existe uma força invisível, a força da boa vontade. Algumas das forças mais poderosas no mundo são invisíveis… O ar que respiramos é invisível e, no entanto, sustenta a vida! Não há perspectiva mais fascinante do que aquela criada pela elevação de uma profissão à posição de meio disponível e apropriado para contribuir em benefício das necessidades sociais. De todas as mil e uma maneiras que o homem pode escolher para ser útil à sociedade, sem dúvida, as mais viáveis e na maioria dos casos as mais eficientes são aquelas dentro do âmbito de suas próprias ocupações.”

Com estas palavras de Paul Harris, o companheiro Carlos Alberto Xavier de Vilhena iniciou a cerimônia de homenagem profissional (primeira do ano rotário 2010-2011) do RCOP, realizada no dia 24 de março do corrente ano. A agraciada com a homenagem foi a Sra. Cléia Costa Barbosa, escolhida pelos companheiros pelo seu trabalho realizado na área de saúde em nossa comunidade.

Cléia nasceu em Belo Horizonte, 1960. Ela é filha de Cypriano Costa e Inês dos Reis Costa, e tem 9 irmãos. Cresceu no Bairro da Graça, Belo Horizonte, onde morou até o ensino médio. É formada em Nutrição pela UFOP, onde também fez Mestrado em Engenharia Ambiental (metais que contaminam a água) e Doutorado em Ciências Biológicas (qualidade da água de Ouro Preto e saneamento). Lecionou na Faculdade FUMEC e no Instituto Izabela Hendrix. Casou-se em 1985 com Marcelo de Almeida Barbosa, empresário da constução civil, tendo os filhos Anna Carolina em 1988 e Alexandre em 1990. Trabalha há muitos anos na Prefeitura de Ouro Preto, atende em diversos postos de saúde, no centro e em distritos.

A seguir, fotos que marcaram a homenagem. Destaca-se também na reunião o sorteio de uma pintura, a partir de uma rifa realizada pela Casa da Amizade.

 

A homenageada Cléia e seu marido Marcelo.
Presidente Maurício e homenageada Cléia.
Companheira Lya entrega diploma para a homenageada.
Companheira Ursula (Casa da Amizade) entrega flores para Cléia, na presença do Presidente Maurício.
Cléia e Ursula.

 

 

 

MUSEU DAS REDUÇÕES RECEBE COMENDA comente aqui

No ano em que comemora 25 anos de fundação, o Museu das Reduções recebeu a Comenda Ambiental Estância Hidromineral de São Lourenço. O evento aconteceu no dia 20 de março, na cidade mineira de São Lourenço, e contou com a presença do Governador Antônio Anastasia. A entrega da comenda, que marca o Dia Mundial da Água, foi instituída para condecorar cidadãos e entidades que se destacam em prol da disseminação, incentivo, apoio, e divulgação das atividades relacionadas ao turismo e à preservação ecológica ambiental.

Segundo nosso companheiro Carlos Alberto Vilhena, diretor do Museu das Reduções, a homenagem é o reconhecimento pelo trabalho  que a instituição realiza, preservando a memória da arquitetura nacional e alimentação do espírito de preservação do meio ambiente e proteção ao patrimônio no meio jovem e adulto.

O Museu das Reduções foi fundado em 15 de agosto de 1986, e está instalado no distrito de Amarantina (25 km de Ouro Preto). Ele possui 29 réplicas reduzidas de monumentos nacionais. Em agosto de 2010, iniciou o Projeto de Educação Patrimonial e Inclusão Digital, voltado para jovens estudantes de escolas públicas da Região dos Inconfidentes. O projeto já atendeu aproximadamente mil alunos. Informações pelo e-mail museudasreducoes@gmail.com

 

O artista “global” Pedro Bismarck (Nerso da Capitinga), garoto-propaganda do Museu das Reduções, e o artista “rotário” Carlos Vilhena, diretor do Museu das Reduções.

 

 

 

VISITA ITAMARATI comente aqui

No dia 18 de março, quando de nossa ida a Além Paraíba para participarmos do PETs e Assembleia Distrital do Distrito 4580 de Rotary Internacional, tivemos a oportunidade de voltarmos a Itamarati de Minas e reencontrarmos o amigo e companheiro rotariano Luiz Carlos Zanela , conceituado comerciante da cidade.

Como de costume, fomos recebidos com sua tradicional hospitalidade mineira e apresentados ao também companheiro rotariano Herivelton Furtado Zanela, atual prefeito de Itamarati, cuja administração tem sido pautada por grande dinamismo e excelente condução dos projetos em prol da comunidade.

Agradecimentos dos companheiros Armenio Antonio Barbosa Queiroz e José Cecília de Oliveira Júnior.

 

 

 

CARNAVAL 2011 OURO PRETO comente aqui

A União Recreativa de Santa Cruz é a escola de samba campeã do desfile oficial promovido pela Prefeitura de Ouro Preto em 2011. Esta escola foi fundada há apenas um ano por integrantes do Bairro de Santa Cruz, com especial atenção do Engenheiro Sidney Cardoso de Araújo, servidor da UFOP e morador do bairro.

A idéia original do Eng. Sidney foi de criar pequenos empreendimentos no bairro, com o nobre objetivo de resgatar a auto-estima dos cidadãos moradores daquela sofrida comunidade, frequentemente atormentada com problemas resultantes do  tráfico de drogas. Desta forma, seriam oferecidas inúmeras oportunidades de trabalho e de aprimoramento técnico/cultural para a população local. A iniciativa logo recebeu moção de aplauso e consideração da Câmara de Vereadores de Ouro Preto. Neste contexto se insere a criação da referida escola de samba.

O projeto tocou a sensibilidade dos companheiros Margareth e Toniolo, que imediatamente puseram a sua vasta experiência de vida em prol daquela comunidade. Após inúmeras reuniões de trabalho, observa-se que as sementes lançadas já apresentam bons frutos. O título alcançado pela escola de samba é uma prova da boa vontade e do interesse da grande maioria dos moradores do bairro em desenvolver atividades sadias e benéficas para a comunidade.

Parabéns para a comunidade de Santa Cruz! Parabéns para os companheiros Margareth e Toniolo!

Abaixo, são mostradas algumas fotos representativas do desfile ocorrido em 07 de março, na Praça Tiradentes. As fotos são de Roberto Ribeiro (Cachorrão).

 

 

 

 

 

REVISTA REM 75 ANOS comente aqui

“A Revista Escola de Minas – REM tem dupla finalidade: ser um veículo para lições dos mestres e engenheiros em geral, quer com o cunho de originalidade, quer com caráter didático, e para estimular o gosto pela cultura técnica entre os estudantes”.

Com esta frase, inaugurava-se em janeiro de 1936 a publicação da primeira revista técnica minero-metalúrgica da América Latina. Trata-se de mais uma contribuição da pioneira Escola de Minas de Ouro Preto para o crescimento de nosso país.

Sob a direção do companheiro EGD Jório Coelho, a revista REM comemora neste ano seus 75 anos de publicação ininterrupta. A REM é apoiada por grandes empresas e por órgãos de fomento, como CNPq, CAPES e FAPEMIG. Ela recebe publicações nas áreas de engenharia civil, geologia, metalurgia e materiais e mineração. A REM é o órgão oficial da Fundação Gorceix para publicação de artigos técnicos-científicos, e está atualmente indexada nos principais sites internacionais de busca por artigos.

O companheiro Jório é conhecido no Rotary International pelo seu incansável trabalho em prol da educação. Ele é responsável no Brasil pela implantação do Projeto LIGHTHOUSE, de educação para crianças de baixo rendimento escolar. Com o trabalho desenvolvido à frente da REM, Jório confirma a sua vocação para o desenvolvimento da educação, um dos maiores bens de qualquer cidadão.

Abaixo, uma foto ilustrativa da capa da edição comemorativa dos 75 anos da REM.

 

Capa da edição de aniversário da REM 1936-2011.

LANÇAMENTO LIVRO BRACHER comente aqui

No dia 17 de dezembro de 2010, concorrido coquetel ocorrido no Centro Cultural e Turístico do Sistema FIEMG em Ouro Preto serviu para lançar o livro “Ouro Preto – Olhar Poético”, do conhecido e famoso artista plástico Carlos Bracher.

Artista impar no contexto das artes plásticas brasileiras, Carlos Bracher é natural de Juiz de Fora, estando radicado em Ouro Preto desde o início dos anos 1970. O presente livro, lançado pela Grafar-Artes, foi patrocinado pelo Rotary Club Belo Horizonte-Oeste. Pode-se adquirí-lo  no Café e Livraria Cultural de Ouro Preto.

De acordo com o prefeito de Ouro Preto e sócio honorário do RCOP, Ângelo Oswaldo de Araújo Santos, Carlos Bracher chega à porta de sua casa, ao pé da íngreme Rua do Carmo, e vê a igreja subindo ao céu, no alto do morro de Santa Quitéria. Tudo é uma ascensão de olhares e sentimentos. Ouro Preto eleva a mirada e o espírito, embalados pelo cântico dos sinos. A alma sobe e desce ladeiras, entre espanto e alegria. Imagem e palavra plasmam a cidade suspensa nos morros. O artista vê a tela iluminada de cores e entra na pintura. Sai vagando pelos cenários que pinta e se descobre guia do olhar no itinerário da poesia. O espectador-leitor participa da aventura do artista e, com ele, sobe pelas ladeiras um caminho para o céu.

Ao lançamento do livro de Carlos Bracher estiveram presentes os companheiros Margareth, Lincoln e Godefroid. Abaixo, uma foto ilustrativa do convite e também capa do livro. Como declarou o próprio autor, “… toda a minha mais profunda alegria de lhes mostrar esse trabalho de amor a Ouro Preto. Na verdade, é apenas isso: amor”. Boa leitura para todos os que amam Ouro Preto!

 

Carlos Bracher: Ouro Preto – Olhar Poético, Ed. Grafar-Artes, 2010.